Ricardo Azevedo - 15 Anos de Carreira

Facebook Oficial Ricardo Azevedo

Agenda 2016

  • 23 janeiro | Teatro Cine | Pombal | 22h
  • 28 janeiro | Feira da Caça e Turismo | Macedo de Cavaleiros | 21h
  • 19 fevereiro | Cine Teatro | Estarreja | 21h30
  • 11 março | Cine Teatro D.João V | Amadora | 21h30

3.9.07

«Espero que seja o início de muita coisa»


Prefácio marca o início de uma renovada carreira a solo do ex-vocalista dos Ez Special. Um álbum que já conta com dois singles a rodar nas rádios e um tema cantado em dueto, com Rui Veloso.

É um grande desafio ter um projecto só seu?
Era um sonho antigo, fazer um disco diferente, em português e a solo.

Porque trocou o inglês pela língua materna?
Por causa da barreira linguística, entre mim e o público. As pessoas pediam-me para cantar em português e eu quero chegar ao máximo de pessoas possível, queria que percebessem o que eu dizia.

Por coincidência, os Ez Special começaram agora também a cantar em português...
Eu queria fazer uma pausa nos Ez Special, para fazer o meu projecto e depois retomava o grupo. O que aconteceu foi que me fizeram optar. Com uma dose de loucura e por querer fazer o que sempre sonhei, não tive dúvidas.

Não deixa de ser uma decisão arriscada.
Claro, mas continuo a ter grande parte do público dos Ez Special do meu lado. Recebo muitos e-mails a dizer que deixaram de se identificar com os Ez Special e que gostam do meu trabalho.

Sem o vocalista, a banda não é a mesma...
É como imaginar o Bono Vox a sair dos U2. Pode-se continuar a chamar U2, mas perde-se ali qualquer coisa. Os Ez Special arrastavam milhares de pessoas por todos os sítios onde iam tocar, enchíamos Coliseus, tivemos músicas nº1 de air play. O que agora são os Ez Special pouco tem a ver com o que eram.

Estes dois singles que estão a passar nas rádios são representativos do disco?
Não podemos resumir o disco a duas músicas. Pessoalmente, não sei se escolheria Pequeno T2 para 1º single, porque entendo que tenho lá músicas muito variadas, que apelam a vários tipos de público. Tive a preocupação de fazer um disco equilibrado e abrangente, com temas calmos e outros ritmados. Fiz cerca de 100 músicas em português, portanto foi complicado escolhê-las. Houve outras, muito boas, que não entraram.

Material para um novo CD?
Se quisesse começava já a trabalhar noutro, mas tenho uma tarefa muito trabalhosa pela frente, que é as pessoas perceberem que estou a solo.

Prefácio é o início de...
É a 1ª vez que faço um disco a solo, é a 1ª vez que canto em português e é a 1ªvez que tenho tanta responsabilidade. Espero que seja o início de muita coisa.

Como foi cantar com o Rui Veloso?
É um orgulho contar com o Rui Veloso num 1º disco a solo. Fiz-lhe o convite e ele mostrou interesse em ouvir os temas. No dia seguinte, disse-me que gostava de cantar comigo. Fiquei muito feliz, porque já sigo o traba-lho dele desde pequenino.

Fonte

Sem comentários:

Enviar um comentário

Agenda 2015

  • 31 Outubro | Auditório do Centro Cultural | Vila Nova de Fôz Coa | 22h